19/06/16

21/04/16

Mulher é a sexta pessoa morta a tiros em menos de 48 horas em Caicó, RN

Uma mulher foi assassinada a tiros dentro de um salão de beleza na Zona Oeste de Caicó, município do seridó potiguar, na tarde desta quarta-feira (20). De acordo com a PM, a vítima era a dona do salão, que estava trabalhando quando foi baleada. Esta é a sexta pessoa morta a tiros em Caicó nas últimas 48 horas.

De acordo com a Polícia Militar, dois homens em uma motocicleta chegaram ao salão e atiraram várias vezes. Além da dona do salão, que segundo a PM era o alvo, uma outra mulher foi baleada na perna. Ninguém foi preso.

Populares acionaram a Polícia Militar e o Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu), mas a dona do salão de beleza não resistiu e morreu antes do socorro. A segunda mulher baleada foi socorrida no carro da Polícia Militar e levado até o Hospital Regional do Seridó, em Caicó. Segundo a PM, a mulher não corre risco de morrer.
Cabo Edinaldo da Costa Rangel (Foto: Arquivo familiar)

Esta é a sexta pessoa morta a tiros em Caicó nas últimas 48 horas. Na manhã desta quarta, quatro pessoas morreram em confronto com a PM. De acordo com o Instituto Técnico-Científico de Polícia (Itep) de Caicó, as vítimas foram identificadas como Arlindo Monteiro de Oliveira, de 26 anos, Afonso de Oliveira Júnior, de 20 anos, Anderson Caio Silva de Barros, de 18. A outra vítima era um adolescente de 16 anos.

Antes disso, um cabo da Polícia Militar já havia sido morto na manhã da terça-feira (19), no bairro Alto da Boa Vista, na Zona Norte de Caicó. Assim como no crime ocorrido com a cabeleireira, Edinaldo da Costa Rangel, de 48 anos, estava dentro de um carro quando dois homens se aproximaram em uma moto e atiraram nele. Dois suspeitos foram presos, mas logo liberados porque as características não batiam com o relato de testemunhas.

No sufoco! ABC consegue virada emocionante e avança à segunda fase da Copa do Brasil

O futebol seguiu, nesta noite de quarta-feira (20), o ditado popular que o classifica como uma caixinha de surpresa. Favorito, o ABC correu o sério risco de ser eliminado da Copa do Brasil, ainda na primeira fase, ao sofrer dois gols, no Frasqueirão, para o modesto Goianésia-GO. Na primeira partida, as equipes haviam empatado por 1 a 1. No entanto, a equipe potiguar conseguiu a virada, de forma emocionante, e se garantiu na próxima etapa da competição com a vitória por 3 a 2.

Os tentos do time goiano apresentado ao mundo graças ao gol que Wendell Lira marcou pela equipe, em março de 2015 – eleito o mais bonito daquele ano – foram anotados pelo zagueiro Allef, aos 30 minutos, e por Cléber, meio-campista, aos 38. O time alvinegro marcou no segundo tempo com o meia Echeverria, duas vezes, aos 14 e aos 30, e com o atacante Jones Carioca, que fez na marca de 28 da etapa final.

A vitória emocionante com o mesmo placar que a equipe aplicou ao Cruzeiro-MG, na mesma competição no ano de 2014 – considerado histórico – eleva a moral do time alvinegro que, na segunda fase, pegará o arquirrival, América, ou o Gama-DF. As equipes ainda não estrearam na competição nacional.

O jogo…

O primeiro tempo foi horrível para o ABC. O time não conseguiu se apresentar bem e, para piorar, viu um adversário oportunista pronto para surpreender. A prova disso é que a equipe goiana foi para o intervalo vencendo por 2 a 0. Os gols foram do zagueiro Allef, de cabeça aos 30 minutos, e do meio-campista Cleber, que fez após boa tabela com o atacante Nonato, aos 38.

Veio a segunda etapa e tudo mudou. O time potiguar voltou do vestiário com duas substituições: Gustavo Bastos e Gabriel deram lugar para Montanha e Echeverria. As mexidas do técnico Geninho deram certo, tanto que este último jogador foi decisivo com dois gols marcados.

No final, o lateral Caio, do Goianésia, refletiu sua decepção e inconformismo tomando dois cartões amarelos em cinco minutos e, consequentemente, sendo expulso da partida. Ele nem pode observar a festa alvinegra logo que o árbitro apitou pela última vez no jogo.

Henrique Alves tem CNH retida após se negar a soprar bafômetro em Natal

CNH de Henrique Eduardo Alves foi retida durante blitz da Lei Seca realizada em Natal 

O ex-ministro do Turismo Henrique Eduardo Alves (PMDB) se recusou a fazer um teste de bafômetro ao ser parado em uma blitz realizada pela Polícia Militar e Detran na madrugada desta quinta-feira (21) na Zona Sul de Natal. "Como não soprou o aparelho, a carteira de habilitação dele ficou retida", afirmou o capitão Styvenson Valentim, coordenador da Operação Lei Seca no estado. Seis policiais militares também foram autuados.

Ainda segundo o capitão, Henrique Alves tem até cinco dias úteis para ir ao Detran reaver o documento. "Sem o teste do bafômetro não ficou comprovada a ingestão de bebida alcoólica. Assim, ele não vai responder criminalmente. Mas, ele ainda vai responder administrativamente e vai pagar multa de R$ 1.915,40", explicou Styvenson. O G1 tentou falar com a assessoria de Henrique, mas não conseguiu contato. 

Ainda de acordo com o capitão, a blitz realizada na madrugada terminou com 16 pessoas presas e 132 CNHs recolhidas. A fiscalização aconteceu na rotatória da avenida Engenheiro Roberto Freire com a Rota do Sol, via de acesso às praias do litoral Sul potiguar.

Um carro oficial do Estado foi apreendido. O veículo era conduzido por um policial militar, que também foi autuado por ser recusar a soprar o bafômetro. PMs da Paraíba, Pernambuco e de Brasília também irão responder administrativamente.

Lei Seca
As regras da Lei Seca consideram ato criminal quando o motorista é flagrado dirigindo com índice de álcool no sangue superior ao permitido pelo Código Brasileiro de Trânsito: 0,34 miligrama de álcool por litro de ar expelido ou 6 decigramas por litro de sangue.

Nesse caso, a pena é de detenção de 6 meses a 3 anos, multa e suspensão temporária da carteira de motorista ou proibição permanente de obter a habilitação.

Condutores autuados por esse tipo de infração pagam R$ 1.915,40 de multa, perdem 7 pontos na carteira e têm a CNH apreendida. O valor é dobrado caso o motorista tenha cometido a mesma infração nos 12 meses anteriores.

Se o bafômetro registrar um índice igual ou superior a 0,05 miligrama de álcool por litro de ar, mas abaixo do 0,34 permitido pelo Código de Trânsito, o condutor é punido apenas com multa.

No exame de sangue, o motorista será multado por qualquer concentração de álcool, e pode ser preso se tiver mais de 6 decigramas de álcool por litro de sangue.

Operação aborda 40 veículos e notifica condutores em Pau dos Ferros

Policiais do Comando de Polícia Rodoviária Estadual (CPRE) realizaram na tarde desta quarta-feira (20) mais uma intensa operação na cidade de Pau dos Ferros, no Alto Oeste Potiguar. Durante a ação foram realizadas cerca de 40 abordagens à veículos com a notificação de quatro condutores. Também foram realizados testes de alcoolemia.

Em 2015, a Secretaria de Estado da Segurança Pública e da Defesa Social (Sesed) bateu recordes de produção em suas fiscalizações de trânsito. Em um ano mais de 204 mil veículos foram fiscalizados e cerca de 7.300 veículos irregulares apreendidos por irregularidades diversas. Para a Secretaria, estas ações foram importantes para a redução dos crimes naquele ano. 

Dezessete dias sem o Professor Alcivan Medeiros faz população caminhar no “Queremos Justiça” em Felipe Guerra


Fotos: Márcio Costa/Divulgação 
Por Salomão Medeiros

Um silêncio que perdura dezessete dias aliado a vários questionamentos, fizeram da manhã de hoje, mais uma vez de um dos principais motivos quando Professores, estudantes e população da cidade de Felipe Guerra, região Oeste Potiguar do Rio Grande do Norte, caminharam na Avenida Mira – Selva, impuseram bandeiras, faixas e cartazes pedindo solução para o desaparecimento do Professor Alcivan Medeiros da Silva.

Pela segunda vez que o Movimento “Queremos Justiça” saiu hoje da Escola Municipal Maria Bernadete, entrada da cidade e tendo encerramento,no Largo da Caraíba,quando na oportunidades pessoas da comunidade escolar falaram a respeito do Professor Alcivan Medeiros.

Segundo a funcionária pública municipal, Lidiane Silveira “Estamos a dezessete dias engasgados com um grito de revolta, um grito de apelo para que se faça justiça pela perca irreparável de uma pessoa que sempre lutou por seus direitos e nunca se calou diante da injustiça”, disse ela, prosseguindo com suas palavras “Nosso clamor hoje é para que nos ouça, e veja que essa barbaridade não pode ficar impune. Sabemos que nada trará de volta o nosso amigo e companheiro de luta, e que essa separação material está doendo muito.
Também sabemos que o criminoso deve pagar por tal ato, porque ao tirar uma vida de uma pessoa boa, honesta e trabalhadora, ele fez chorar uma cidade inteira que hoje pede uma resolução para o caso. Estamos à mercê da criminalidade, pessoas de bem são assassinadas diariamente, e poucos são os culpados que pagam pelo mal que fazem à sociedade. Isso chega a ser revoltante”,enfatizando,durante o encerramento do Movimento “Queremos Justiça”,ao lado da Caraíba,no Centro da cidade de Felipe Guerra,numa amanhã não tão simples como de praxe.

Para o Professor Elias Góis, esteve fazendo uma reflexão perante aos professores, comunidade escolar e população ““Pode se matar uma pessoa, mas não se mata uma ideia. E o exemplo que Alcivan foi de guerreiro, de lutar pelos seus direitos, hoje está sendo refletida aqui. Estamos imitando aquele bom exemplo dele. Então quando o semeador falece, suas sementes germinam. Que mais fruto possa aparecer pelo trabalho daquele grande educador.

E que haja justiça contra esse criminoso que machucou toda uma cidade", ressaltou ele pedindo a sociedade felipense para que o caso não venha cair no esquecimento e que as autoridades e órgãos competentes possam apurar o desaparecimento do Professor Alcivan Medeiros,dando respostas concretas há milhares de pessoas,sejam de Felipe Guerra,Mossoró,Santana do Matos ou de outras cidades do estado do Rio Grande do Norte ou no Brasil,que tinha o Professor Alcivan Medeiros como um cidadão exemplar e admirado pelo seu brilhantismo.

Coleta de abaixo assinado começará na próxima sexta-feira,22, em Felipe Guerra-RN
Logo após a caminhada do Movimento “Queremos Justiça” pelo desaparecimento do Professor Alcivan Medeiros, professores da Escola Municipal José do Patrocínio Barra e Escola Estadual Antônio Francisco, decidiram que estarão realizando um abaixo-assinado para que dentro de próximos dias seja entregue as autoridades competentes da Segurança Pública do Estado do Rio Grande do Norte.

No abaixo assinado serão colhidos assinaturas, e aonde a comunidade escolar da cidade de Felipe Guerra e população irão pedir a elucidação do desaparecimento do Professor Alcivan Medeiros da Silva, além de punição para quem cometeu o possível o bárbaro assassinato dele.

O abaixo assinado irá percorrer todas as comunidades rurais da cidade de Felipe Guerra e zona urbana. O movimento “Queremos Justiça” realizado pela comunidade escolar de Felipe Guerra conta com o apoio dos blogueiros de Felipe Guerra, Salomão Medeiros, Márcio Costa, Tiago Gama, Edvaldo Barbosa, Ailton Costa e João Paulo Barra.

20/04/16

Soldado da PM é morto a tiros em Mossoró, RN

Alriberg Lopes França (Foto: Divulgação/PM)

Um policial militar foi morto a tiros na manhã desta quarta-feira (20) em Mossoró, cidade do Oeste potiguar. De acordo com a PM, o soldado Alriberg Lopes França estava em uma motocicleta quando dois criminosos se aproximaram e atiraram nele.

O crime aconteceu por volta das 6h no bairro Santo Antônio. Segundo o sargento Madson Cabral, fiscal de operações do 2º Batalhão da PM, o soldado estava em uma motocicleta e parou em um sinal. Dois homens, também em uma moto, se aproximaram e atiraram.

"Ele foi atingido na cabeça e morreu no local", disse o sargento Madson. O soldado Alriberg era lotado no 2º Batalhão e tinha 18 anos de carreira na PM.

FELÍPE GUERRA: Caminhada do Movimento “Queremos Justiça” pelo Professor Alcivan Medeiros acontecerá hoje

A população da cidade de Felipe Guerra, região Oeste Potiguar do Rio Grande do Norte, sairá hoje pela manhã, às 7:30 horas da Escola Municipal Professora Maria Bernadete,numa caminhada do Movimento “Queremos Justiça” pelo desaparecimento do Professor Alcivan Medeiros,ocorrido no último dia 2 de Abril de 2016.

Após dezessete dias quando o carro dele Fiat Uno Evolution ,de cor prata, ano 2015, placa OWF – 7246, foi encontrado carbonizado, na comunidade Tapuio, na divisa do município de Santana do Matos e Fernando Pedroza e identificado como do Professor Alcivan Medeiros da Silva.

Nesse período de dezessete dias nem a família e as sociedades felipense e santanense sabem do paradeiro do sumiço do Professor Alcivan Medeiros, o que mediante esse desaparecimento, a população da cidade de Felipe Guerra, entre professore, estudantes, blogueiros, comerciantes e população em geral levando faixas, cartazes e vestidos de camisetas preta em forma de protesto pelo desaparecimento do Professor Alcivan Medeiros, quando será cobrada das autoridades da segurança pública a elucidação deste caso.

No último dia 14 deste mês, professores da Escola Municipal José do Patrocínio Barra e da Escola Estadual Antônio Francisco, reuniram-se com os blogueiros Salomão Medeiros, Edvaldo Barbosa e radialista Zuildo Alves quando trataram da organização da caminhada do Movimento “Queremos Justiça”, pelo desaparecimento do Professor Alcivan Medeiros.

Também deverão estar hoje na cidade de Felipe Guerra órgãos de imprensa do Rio Grande do Norte, como também os blogueiros de Felipe Guerra, Ailton Costa, Tiago Gama, Márcio Costa e João Paulo Barra participando do movimento “Queremos Justiça”.

A caminhada hoje terá início em frente à Escola Municipal Professora Maria Bernadete, entrada da cidade de Felipe Guerra e percorrerá a Avenida Mira - Selva, onde terá encerramento na Caraíba, no Centro da cidade e haverá falações de diversas pessoas e mais de um minuto de silêncio. Foto:Reprodução/Professor Alcivan Medeiros

“Queremos Justiça”
#SomosTodosAlcivansMedeiros
Felipe Guerra Vai à Luta”

Planejamento Estratégico da Agricultura Familiar do RN será conhecido em consulta pública dia 25

O Governo do Estado, através do projeto RN Sustentável, receberá, no próximo dia 25 de abril, um estudo que representa a verdadeira radiografia da agricultura familiar potiguar. A apresentação do documento será realizada em Consulta Pública, no próximo dia 25 de abril, no Mini auditório da Escola de Governo, das 14h às 17 h. 

É o resultado do trabalho realizado por consultores especializados que entregarão o diagnóstico completo sobre a realidade, problemas enfrentados, riquezas disponíveis e soluções para ampliar quantidade e qualidade da produção das pequenas propriedades agrícolas. Foram quase 12 meses de trabalho, envolvendo a realização de diversas oficinas temáticas, éticas, 8 workshops territoriais focando em 6 cadeias produtivas e seus APLs (Arranjos Produtivos Locais).

O Diagnóstico e Planejamento Estratégico para o Desenvolvimento de Atividades Produtivas Agrícolas do Rio Grande do Norte, desenvolvido por técnicos do Consórcio Nippon Koei LAC, aponta caminhos e diretrizes para projetos estruturantes. Foi desenvolvida uma metodologia com foco no novo rural, no melhor aproveitamento do território, integração das cadeias produtivas e arranjos produtivos locais. 

O documento é fruto de uma análise final submetida a três eventos regionais. O plano estratégico será um norte para o melhor aproveitamento das cadeias produtivas da fruticultura, ovinocaprinocultura, cajucultura, leite e derivados e piscicultura. Oito territórios rurais foram pesquisados: Sertão do Apodi, Mato Grande, Açu/Mossoró, Agreste, Litoral Sul, Seridó, Sertão Central Cabugi e Litoral Norte Angicos e a partir destes a todo o estado.

19/04/16

Pré-candidatos do PTdoB reafirmação intenção de dispor seus nomes a renovação da câmara do Apodi

Clique para ampliar

Na manhã do último domingo, (07) o PTdoB de Apodi realizou mais um encontro com os Pré-candidatos a vereador(a) e simpatizantes na chácara de Saúde de Bevenuto, onde na oportunidade foi oferecido um café da manhã pela anfitriã.

Foi um momento muito importante para reafirmação dos pré-candidatos a vereador(a).

Temer janta com Armínio Fraga e Aécio Neves em São Paulo


O vice-presidente da República, Michel Temer, jantou nesta segunda-feira (18), em São Paulo, com o senador Aécio Neves (PSDB-MG) e com o ex-presidente do Banco Central Armínio Fraga, segundo a jornalista Miriam Leitão relatou no Bom Dia Brasil. Eles debateram o cenário da economia do país. Como Fraga já havia dito que não aceitaria cargo no governo, não houve convite de Temer para ele integrar um eventual governo caso a presidente Dilma Rousseff sofra o impeachment.

Temer viajou para a capital paulista, onde tem casa e escritório, na manhã da segunda-feira, horas após a Câmara ter votado pelo prosseguimento do processo de impeachment. O caso agora está com o Senado. Se os senadores decidirem acolher o processo, Dilma é afastada e Temer assume até a votação final.

De acordo com Miriam Leitão, no jantar, o vice estava interessado em ouvir as análises de Fraga. O ex-presidente do BC traçou um quadro preocupante sobre a situação fiscal brasileira e defendeu que o governo estabeleça metas de superávit primário crescentes e aceite estabelecer em lei um limite pra a dívida pública.

Durante todo o tempo que falou, Armínio alertou o vice presidente para a gravidade da situação econômica e chegou a dizer: "isso é uma emergência".

Temer tem analisado outros nomes para um eventual governo, como o do senador José Serra (PSDB-SP), que tem forte tendência fiscalista no trato das contas públicas. Outro nome que vem sendo cogitado é o do economista Murilo Portugal, que serviu a vários governos, foi secretário do Tesouro no governo Fernando Henrique Cardoso e foi secretário-executivo do Ministério da Fazenda no governo Luiz Inácio Lula da Silva. Atualmente, está na Febraban.

Henrique Meirelles, ex-presidente do BC no governo Lula, também é lembrado com frequência. Outro nome que está em todos os estudos de montagem de equipe de um possível governo Temer, para a área social, é o do ex-deputado e ex-ministro Roberto Brant.

Ao longo da tarde, no escritório em São Paulo, Temer recebeu aliados, comos o ex-ministros do governo Dilma Moreira Franco e Thomas Traumann.

Senado vai ler votação do processo de impeachment de Dilma nesta terça

A mesa diretora do Senado vai ler nesta terça-feira (19) o resultado da votação do processo de impeachment da presidente Dilma Rousseff na Câmara e determinar a criação da comissão especial na Casa. O presidente do Senado, Renan Calheiros (PMDB-AL), vai se reunir com líderes partidários para definir os prazos e o ritmo de trabalho e a proporcionalidade de vagas na comissão para cada bancada.

A sessão será antes da abertura da ordem do dia e, a partir da leitura, os líderes partidários poderão indicar representantes para a comissão especial do impeachment do Senado, que terá 21 membros titulares e 21 suplentes.

Renan e o presidente do Supremo Tribunal Federal, Ricardo Lewandowski, anunciaram na segunda-feira (18) que vão compor conjuntamente um roteiro para determinar os próximos passos do processo do impeachment.

Após reunião, ambos informaram que o roteiro será primeiro elaborado entre as assessorias jurídicas do STF e do Senado.

Depois, o documento será submetido a todos os ministros do próprio STF numa sessão administrativa para verificação se está de acordo com os parâmetros que serão considerados:
- a Constituição;
- a Lei 1.079/1950 (sobre crimes de responsabilidade):
- o Regimento do Senado
- o rito adotado no impeachment do ex-presidente Fernando Collor; e
- recente decisão da própria Corte que alterou rito que vinha sendo seguido pelo presidente da Câmara, Eduardo Cunha (PMDB-RJ).

Não deverá ser criado um rito novo para o processo, mas apenas consolidadas todas as regras já existentes num único documento.

"Temos dados objetivos em que vamos nos basear. Os prazos já estão nos documentos, vamos objetivar o que está nesses quatro parâmetros”, explicou Lewandowski.

Renan Calheiros disse que conversou com Lewandowski sobre “alguns cenários” de prazos a serem cumpridos, mas não adiantou quando efetivamente o Senado realizará a primeira sessão para decidir se admite a denúncia (que pode levar ao afastamento de Dilma da Presidência), nem quando será o julgamento final, que pode tirar definitivamente o mandato.

“Como presidente do Senado, eu queria repetir, nós vamos observar todos os prazos, garantir direito de defesa, processo legal e eu vou, como presidente do Senado, em todos os momentos, manter a isenção e a neutralidade, que são fundamentais para que nós possamos chegar a bom termo”, afirmou Renan Calheiros. Questionado por jornalistas, ele não disse se vai votar no caso, como fez Eduardo Cunha.

Em entrevista à imprensa, Lewandowski também foi questionado sobre em que momento poderá participar do processo.

Segundo a Constituição, cabe ao presidente do STF comandar a sessão final de julgamento, em que são necessários 2/3 dos senadores para condenar a presidente.

O ministro disse que o assunto ainda está sendo discutido, mas adiantou que poderá atuar só após a primeira decisão de plenário, a ser comandada por Calheiros, de admitir a denúncia e afastar a presidente.

“Possivelmente o presidente do Supremo Tribunal Federal presidirá a partir da pronúncia [segunda votação em plenário] à sessão de julgamento [terceira e final]. O presidente Renan presidirá a sessão de admissibilidade, esta é a direção que nós estamos aventando”, afirmou Lewandowski.

Nessa tarefa, Lewandowski disse que poderá, durante os trabalhos da comissão que analisa a denúncia, decidir sobre questionamentos contra diligências (atos de investigação), depoimentos de testemunhas ou provas admitidas no processo.

‘Processo traumático e longo’
Durante a entrevista, Renan Calheiros disse que o processo de impeachment "é um processo traumático e longo”.

“Aproveitei a oportunidade para dizer da isenção, da neutralidade, do meu compromisso com o processo legal, que do ponto de vista do senado federal vamos fazer tudo, absolutamente tudo, para que nós cheguemos a um bom termo, sem nenhum trauma, porque como todos sabem, esse processo de impedimento é um processo traumático e longo”, afirmou, sobre a reunião com Lewandowski.

O presidente do Senado afirmou que durante todo o dia recebeu pessoas que queriam “agilizar” ou “delongar” os procedimentos, mas afirmou que “isso não é possível”, reiterando que deverá respeitar as regras já estipuladas, sobretudo relativas ao direito de defesa da presidente Dilma Rousseff e ao contraditório.

Calheiros foi questionado se Dilma manifestou, em reunião mais cedo nesta segunda, desejo de um processo mais rápido ou mais lento.

“Não, porque eu fiz questão de dizer que nós íamos seguir o processo legal e todos os prazos, inclusive os prazos de defesa”, respondeu.

Questionado novamente se iria votar no processo, como fez Cunha, Renan Calheiros respondeu:

“Cabe ao Senado Federal processar e julgar. No Senado Federal, por exemplo, com certeza, não vai ter voto em função do que a família quer ou não. O julgamento será um julgamento de mérito, se há ou não há crime de responsabilidade”, declarou.

O presidente do Senado informou que a partir desta terça (19), os líderes dos partidos começarão a indicar os membros da comissão especial do Senado que irá analisar a denúncia. Ele negou possibilidade de interferência na escolha do relator do caso e do presidente do colegiado, que caberá aos próprios membros da comissão.

Caicó-RN: Cabo da PM é executado com tiro na cabeça em emboscada.

Cabo Rangel (Foto: Arquivo familiar)

Um policial militar, identificado como cabo Rangel, morreu na manhã desta terça-feira (19) ao ser baleado na cabeça. O crime aconteceu por volta das 8h no bairro Alto da Boa Vista, em Caicó, cidade da região Seridó potiguar. De acordo com a PM, o cabo estava dentro de um carro quando dois homens se aproximaram em uma moto e atiraram. Suspeitos foram presos.

"Dois homens se aproximaram em uma moto e atiraram. O cabo Rangel estava dentro de um Gol branco e foi atingido na cabeça", afirmou o também cabo da PM Paulinele Gomes da Silva, que trabalha em Caicó. 

Uma equipe do Samu foi chamada e tentou reanimar o cabo, mas não conseguiu. Cabo Rangel era lotado na 5ª Companhia Independente da PM de Jardim de Piranhas.

18/04/16

Dilma está 'otimista' e 'confiante', dizem deputados governistas

Após se reunirem na manhã desta segunda-feira (18) com a presidente Dilma Rousseff no Palácio do Planalto, deputados da base aliada relataram que a petista está “muito otimista” e “confiante”, mesmo após o governo ter sido derrotada neste domingo (17) na votação do processo de impeachment no plenário da Câmara dos Deputados.

O encontro da presidente com os deputados não estava previsto na agenda oficial de Dilma. Participaram da audiência com a presidente os deputados José Guimarães (PT-CE), Givaldo Carimbão (PHS-AL), Orlando Silva (PCdoB-SP), Jandira Feghali (PCdoB-RJ), Marcelo Castro (PMDB-PI) e Arlindo Chinaglia (PT-SP).

“A luta está apenas começando. Tem ainda um longo período de disputa política. […] A presidenta está muito otimista e é impressionante como o astral dela está bom. Ela está animada e, solidária, agradeceu muito à nossa honradez e os votos que demos. E dissemos a ela: ‘Estamos com a senhora, como se diz no Nordeste, até debaixo d’água’”, afirmou o líder do governo na Câmara, José Guimarães.

“A presidenta está muito confiante, está muito bem. Acho que ontem foi um momento e agora o Senado terá outro papel. O governo está trabalhando a partir de agora para que o que aconteceu na Câmara ontem não aconteça no Senado. Estamos aqui, unidos como sempre, para irmos à luta mais uma vez”, acrescentou o líder do PHS, Givaldo Carimbão.

Por 367 votos a favor, 137 contra, 7 abstenções e 2 ausências, os deputados federais aprovaram a admissibilidade do processo de afastamento da petista. Agora, cabe ao Senado decidir se acolhe ou não o processo.

Se os senadores decidirem dar prosseguimento, a presidente deverá ser afastada por até 180 dias e, neste período, enquanto o Senado irá julgá-la, Temer assumirá a Presidência da República.

Temer e Cunha
Em meio às falas dos deputados, o vice-líder do governo na Câmara, Silvio Costa (PTdoB-PE), pediu a palavra para dizer que “o dia de ontem não deveria ter existido na democracia brasileira”. Para ele, o resultado foi uma “injustiça histórica” e um “equívoco” causado pelo “ódio" e "vingança” do presidente da Casa, Eduardo Cunha (PMDB-RJ).

Aos jornalistas, Costa disse que o peemedebista é um “psicopata” que deveria estar internado “há muito tempo” em Curitiba, referindo-se ao fato de a capital paranaense ser a sede das operações da Lava Jato. O vice-líder do governo atacou ainda o vice-presidente da República, Michel Temer, afirmando que fará oposição a uma eventual gestão do peemedebista, caso o Senado afaste Dilma da Presidência.

“Ele [Temer] administra um tipo de comportamento do partido dele em que o único lado que tem é o do governo – ou seja, para qualquer governo, o partido dele serve. Repito aqui que quem ganhou foi o PCC, o Partido da Corja do Cunha. E, efetivamente, ratifico que, se o Senado ratificar a decisão equivocada da Câmara, vou fazer oposição a um eventual governo Michel Temer. [...] E oposição eu sei fazer bem”, ressaltou o deputado do PT do B.

O dia seguinte
Na manhã seguinte à decisão da Câmara de dar prosseguimento ao processo de impeachment,Dilma Rousseff não fez seu passeio matinal de bicicleta nos arredores do Palácio da Alvorada, residência oficial da Presidência.

A petista chegou ao Palácio do Planalto às 9h58 e começou o dia com uma reunião com seu chefe de gabinete, o ministro Jaques Wagner.

Segundo o G1 apurou, nesta manhã, Dilma teve uma conversa com assessores na qual enfatizou que, apesar da derrota na Câmara, continuará “lutando” porque não cometeu crime de responsabilidade. A presidente também aconselhou seus colaboradores mais próximos a estarem “bem dispostos” para a “nova etapa da luta”.

De acordo com relatos de assessores palacianos, a petista disse aos funcionários do Planalto que não será “fácil” derrubá-la. “Vamos dar trabalho”, disse a presidente, segundo relatos de pessoas próximas.

Na sede do Executivo federal, assessores dizem que está “no radar” a possibilidade de o governo acionar o Supremo Tribunal Federal para questionar supostas “nulidades” no processo de impeachment.

Às 17h, Dilma fará um pronunciamento fará um pronunciamento para comentar a decisão dos deputados federais. Até o momento, somente o advogado-geral da União, José Eduardo Cardozo, comentou a decisão dos deputados federais.

Em uma entrevista coletiva concedida no início da madrugada desta segunda, o ministro afirmou que o governo recebeu com "indignação e tristeza" o resultado da votação no plenário da Câmara.

Após votar impeachment, deputados entram em feriado prolongado

Após a votação do processo de impeachment da presidente Dilma Rousseff na noite deste domingo (18), deputados terão um feriado prolongado a partir desta segunda-feira (18), emendando a segunda-feira, a terça e a quarta com o feriado de Tiradentes, na quinta, e o fim de semana.

Após a votação da noite de domigo, o presidente da Casa, Eduardo Cunha (PMDB-RJ), anunciou que não haveria sessões deliberativas nos três dias seguintes, apenas as não-deliberativas (quando não há votações nem contagem de ausentes). Alguns parlamentares já viajaram para seus estados.

De sexta-feira a domingo, para acelerar o rito do impeachment, Cunha abriu uma sessão que durou 43 horas ininterruptas. Para o deputadoRogério Rosso (PSD-DF), que presidiu a comissão especial do impeachment, o recesso se justifica pelo ritmo que a Casa adotou nos últimos dias.

“Dessa vez, excepcionalmente, não dá pra negativar a imagem do parlamento, porque a gente trabalhou quinta, sexta, sábado e domingo de madrugada e essa semana ainda tem o feriado na quinta-feira”, disse o deputado.

Cunha adotou tom parecido ao encerrar a votação da noite. “Em função do elevado horário, em função da semana, em função do esforço que foi feito neste fim de semana, amanhã haverá somente sessão não deliberativa, às 14h, o que ocorrerá também na terça-feira e na quarta-feira”, afirmou o presidente.

Mendonça Filho (DEM-PE) disse que é preciso um tempo de descanso. “Eu acho que agora não tem ambiente para pauta, está todo mundo exausto. Foram sessões e sessões de madrugada e poucas horas de sono. Há 15 dias não vou a Pernambuco”, afirmou.

Representantes do RN na Série D já estão definidos

Com o clássico entre ABC e América definido para a final do Campeonato Estadual, o Rio Grande do Norte conheceu seus dois representantes no Campeonato Brasileiro da Série D.

Como uma das vagas ficaria com o campeão potiguar e ABC e América já estão na Série C, as definições se deram pelo índice técnico no decorrer de todo o Estadual.

Somando os dois turnos, Globo e Potiguar de Mossoró atingiram a marca de 26 pontos e se garantiram na quarta divisão nacional.

São Rafael: Homicídio com requintes de crueldade foi registrado na madrugada de ontem.

A polícia militar foi acionada por volta das 05h30min da manhã de Domingo, 17/04/2016, onde relatavam que um corpo não identificado teria sido encontrado na estrada que dá acesso ao sítio Umburanas, zona rural de São Rafael. De imediato os policiais militares se deslocaram ao local e constataram a veracidade das informações e descobriram que a vítima seria o cidadão Francisco das Chagas Barbosa, mais conhecido na cidade por "Tico pica de mel". 

No local havia várias pedras sujas de sangue e pedaços de pau, objetos possivelmente usados pelo(s) assassino(s). A vítima sofreu vários golpes na cabeça e apresentava o crânio bastante esfacelado. A moto em que a vítima estava momentos antes uma fan de cor preta não foi localizada. Até o momento a polícia não sabe informar se foi um latrocínio ou se sua morte tem haver com outro motivo. 

O ITEP foi acionado e fez a remoção do corpo à sede do órgão. 

A polícia militar realizou algumas diligências, recolheu algumas imagens e encaminhará os procedimentos à policia civil, que ficará responsável a partir de agora pelas investigações. 

Se você tem alguma informação que leve a polícia à prisão dos acusados deste homicídio ligue para o 9 8873-4530, que sua identidade será mantida no mais absoluto sigilo.




BLOG PM SÃO RAFAEL