22/11/2014

NOTA OFICIAL DA AENTS SOBRE A POLÊMICA DOS TRANSPORTES UNIVERSITÁRIOS



Depois de ter entrado em contato com alguns alunos (os que estão podendo pagar os veículos que estão se deslocando até Mossoró), a AENTS só confirmou o que havia dito ao Prefeito, de que a proposta por ele defendida é espantosa e afastada de nossa realidade. 

A presidência começa a não entender as decisões unilaterais do Poder Executivo Municipal. Não há argumento apresentado com a responsabilidade exigida, que justifique a publicação de uma convocação que foi ao encontro de todos, com surpresa e falta de diálogo. 

Primeiro, a lei 851/2012 não foi rediscutida no que interessa ao grupo universitário e técnico. 
Mas diante de tal fato, iremos cobrar que a câmara tome uma posição enérgica quanto a isso. 

São, com toda dificuldade, mais de 500 famílias que não se calarão quando divulgarmos efetivamente a problemática. Pedimos que mais do que nunca, nos concentre nos problemas o máximo possível para que uma categoria intitulada universitários e alunos de nível técnico, não esqueça toda luta dos muitos universitários que na história do Brasil, foram as ruas protestar a favor de seus interesses. Reafirmamos que não iremos defender interesses que não sejam dos alunos. 

Pedimos desculpas, diante dos entendimentos que muitos nutrem, de que é preciso relacionar o passado com o presente. A situação é presente, não havendo motivo para buscar no passado, as justificativas de continuar errando no presente. Estamos tendo a oportunidade de colocar o debate devidamente em seu lugar. Entendemos a situação de muitos, em não se posicionar claramente sobre a situação, mas sabemos que apoiam as lutas por melhorias. 

Queremos parabenizar ao aluno Júnior Oliveira pela coragem e sabedoria em no momento de efetivo entendimento, se posicionar sem atingir a imagem pessoal de qualquer pessoa. Queremos esclarecer com diálogo a todos, o que devemos tentar fazer. 

Recursos público, é preciso aplicar quando o social apoia. Vamos abrir novas etapas de diálogo e organizar os movimentos com responsabilidade, dentro de perspectivas legais e saudáveis. 

Vamos nos unir, pois os transportes, quem precisa, somos nós.
Anterior Proxima Página inicial