06/02/2014

EM NOITE DO POTIGUAR WALLYSON, BOTA VENCE DEPORTIVO E AVANÇA NA LIBERTADORES


Na arquibancada do Maracanã, 50.608 vozes presentes a empurrar o time. Em campo, jogadores aguerridos em busca do sonho maior; e, entre eles, estava Wallyson, que não foi a estrela solitária da noite de quarta-feira, mas foi quem teve o brilho maior. O atacante - que substituiu Rodrigo Souto - fez três gols na vitória do Botafogo sobre o Deportivo Quito. Henrique completou o placar de 4 a 0. O resultado carimbou o passaporte para a fase de grupos. Com a classificação, o próximo desafio será na próxima terça-feira, contra o San Lorenzo, da Argentina, no Maracanã. O Alvinegro entrou no Grupo 2 da Libertadores, que tem ainda Unión Española (Chile) e Independiente del Valle (Equador). 

Empurrado por uma apaixonada e inflamada torcida e precisando reverter a desvantagem pela derrota de 1 a 0 na partida de ida, o Botafogo esbanjou vontade e disposição nos minutos iniciais. Não existia jogada perdida. Em alguns lances, até com um pouco de afobação. O time se lançou ao ataque, arriscou e quase saiu na frente aos 17 minutos, quando Edílson bateu escanteio e Ferreyra, de cabeça, acertou a trave direita.

O Deportivo Quito mal conseguia trocar passes, ficou acuado em seu campo saindo em raros contra-ataques e não ameaçou o gol de Jefferson no primeiro tempo. E seria assim até o fim do jogo. Além disso, o time equatoriano abusou das faltas e, nos 45 minutos iniciais, recebeu três cartões amarelos.

A luta do Botafogo foi recompensada aos 36 minutos. Após levantamento de Edílson, Jorge Wagner cabeceou para o meio da área e Wallyson, de primeira, fez 1 a 0. Foi a senha para incendiar de vez o Maracanã. O Alvinegro seguiu com domínio até o fim da primeira etapa e deixou o campo sob os aplausos da torcida.
Punhos cerrados: Wallyson comemora seu belo gol que abriu o placar no Maracanã (Foto: EFE)

Wallyson brilha de novo

Assim como aconteceu nos 45 minutos iniciais, o Alvinegro voltou na pressão. Ambos os times, porém, começaram a abusar de faltas mais duras. Os nervos estavam à flor da pele. Aos 20 minutos, Wallyson finalizou de fora da área, na rede, pelo lado de fora. Na sequência, Eduardo Hungaro colocou Elias na vaga de Ferreyra, que teve atuação apagada.

E voltou a brilhar a estrela de Wallyson. Aos 21, Lodeiro lançou o atacante, que invadiu a área, deu belo corte no adversário e, com capricho, colocou no fundo da rede. O time não abdicou do ataque e foi em busca do terceiro gol. E ele saiu aos 34. E novamente com Wallyson. Festa no Maracanã, euforia, gritos de "olé".

E ainda tinha mais. Aos 45, Henrique - que entrou justamente na vaga de Wallyson, aos 36 - selou a goleada por 4 a 0.

Antes da partida com o Deportivo, Hungaro chegou a dizer que esperava que sua estrela brilhasse. Foi dele a decisão de colocar Wallyson na vaga de Rodrigo Souto. Wallyson brilhou. Mas, na noite de quarta-feira, o brilho maior foi de uma estrela solitária com nome e sobrenome: Botafogo Futebol e Regatas.
Anterior Proxima Página inicial
Postar um comentário