03/03/2017

No RN, acidentes em estradas federais deixam cinco mortos no carnaval


Segundo PRF, número de mortes aumentou mais de 100% (Foto: Divulgação/PRF)

Um balanço da Polícia Rodoviária Federal (PRF) aponta que acidentes nas estradas federais do Rio Grande do Norte deixaram cinco mortos nos seis dias de Carnaval. O número mais que dobrou em relação ao mesmo feriado no ano passado, quando uma pessoa perdeu a vida em rodovias federais.
saiba mais


A operação da PRF começou na sexta-feira (27) e foi concluída no final da noite de quarta-feira (1º). Durante o período do Carnaval, a fiscalização e o policiamento nas rodovias federais contou com efetivo extra. Policiais que trabalham administrativamente e policiais que trabalham em outras unidades operacionais foram remanejados para compor equipes.

Foram registrados 28 acidentes, 28 pessoas feridas, oito acidentes graves e cinco mortes. Os resultados mostram para o período de carnaval de 2017 que o número de acidentes nas BRs no Rio Grande do Norte foi menor que no ano anterior, porém os números de feridos, mortes e acidentes graves foram maiores.

Segundo a PRF, durante a operação foram fiscalizados 5.102 veículos e 5.829 pessoas. 3.123 motoristas foram submetidos ao teste de etilômetro, dos quais 68 foram autuados. 2.660 condutores foram autuados por infrações diversas, sendo 312 só por ultrapassagens proibidas. 33 pessoas foram presas, sendo 12 por embriaguez e 21 por outros crimes. 1.477 veículos tiveram imagens capturadas por transitarem em excesso de velocidade.

Cinto de segurança
A PRF verificou nesse período um problema recorrente nas estradas em todo o Brasil: a falta do uso do cinto de segurança e dos dispositivos de retenção para crianças pelos ocupantes dos veículos. Das multas sobre o cinto de segurança, 80% foi motivado pelos passageiros, sendo 136 autuados, enquanto 35 motoristas foram multados pelo mesmo motivo. As imprudências estão previstas no artigo 167 do Código de Trânsito Brasileiro, sendo graves, com multas de R$ 195,23, tendo 5 pontos na CNH.

Quando o passageiro é uma criança menor de sete anos e meio é obrigatório um dispositivo apropriado à sua faixa etária, como a cadeirinha. Essa atenção preserva adequadamente sua segurança e conforto. Durante as fiscalizações da PRF no carnaval foram identificados 24 motoristas que descuidaram dessa obrigação, e tiveram o registro da multa gravíssima, que custa R$ 293,47 e acarreta 7 pontos na Carteira Nacional de Habilitação.

Em todas elas o motorista é o responsável pela falha do passageiro e arca com a multa. Na ocorrência de acidente, uma pessoa solta no interior coloca em risco todas as outras, mesmo as com cinto de segurança.

G1/RN
Anterior Proxima Página inicial
Postar um comentário