05/07/2015

O INSS irá entrar em greve nesta terça-feira, dia 07 de julho.


Os servidores do Instituto Nacional do Seguro Nacional-INSS aprovaram na tarde deste sábado (04/07), por unanimidade, a deflagração de greve nacional por tempo indeterminado a partir desta terça-feira (07/07). Todas as agências do país serão afetadas.

Há pelo menos sete anos o Governo Federal se recusa sistematicamente a abrir diálogo com os servidores para negociar as pautas de reivindicações. A proposta que foi apresentada de forma geral a todos os servidores do Executivo Federal era de um reajuste de aproximadamente 5% por quatro anos, sendo que a inflação acumulada neste mesmo período deve superar os 30%.

Após esgotar todas as tentativas de estabelecer diálogo com o Governo, não houve outra forma de garantir a continuidade dos serviços previdenciários senão a greve. Foram cumpridos todos os requisitos legais para a sua deflagração, inclusive com a notificação formal do INSS no dia 30/06/2015.

Segundo relatório do Tribunal de Contas da União - TCU, 26% do efetivo de servidores do INSS está apto a se aposentar a qualquer momento (apenas não o fazem por chegar a perder 50% de sua remuneração no ato da aposentadoria, preferindo assim continuar a trabalhar mesmo que doentes e sem condições físicas e/ou psicológicas). Esse quantitativo de servidores aptos a se aposentar supera em 5 vezes o índice aceitável de reposição por razão de aposentadoria, o que já representa ameaça a continuidade da prestação dos serviços no médio prazo.

Embora haja defasagem de mais de 10.000 servidores atualmente, o Governo Federal, após anos de insistência e apenas na iminência da greve autorizou a abertura de concurso para apenas 950 vagas, o que não equaciona nem a menor parte do problema.

Os servidores pedem ainda reconhecimento para que possam atender de forma mais adequada a população, mesmo em meio a intensas modificações legislativas, falta de infraestrutura adequada e quadro defasado de pessoal.

Os reajustes nos últimos anos (quando houve) foram menores do que o reajuste dos aposentados que já é tão criticado. Foram menores inclusive do que a inflação, motivo pelo qual não pedimos aumento, mas reposição das perdas salariais. 

Confira a pauta de reivindicações: - Reajuste da Remuneração de Acordo com a Inflação;
- Incorporação das Gratificações;
- Plano de Cargos e Carreiras;
- 30 Horas de Trabalho para Todos os Servidores;
- Concurso Público para Repor o Quadro de Pessoal;
- Fim do Assédio Moral;
- Contra as Terceirizações;
- Isonomia Salarial e Paridade Entre Ativos e Aposentados

Na Gerência Executiva de Mossoró-RN, da qual o INSS de Apodi-RN, há uma enorme adesão por parte dos servidores ao movimento paredista. 
Em Apodi-RN 100% dos servidores irão cruzar os braços por melhorias.

Comando de Mobilização da Greve
Sindsprevs-RN
Anterior Proxima Página inicial