31/07/2015

Apodi já pagou mais de 1 milhão em precatórios no ano de 2015


A prefeitura de Apodi já pagou de Janeiro a Julho deste ano R$ 1.095.564,85 de precatórios. Débitos trabalhistas de gestões anteriores que não cumpriram com as leis trabalhistas, com isso gerou débitos milionários com os servidores do município.

No final de 2013, o prefeito Flaviano Monteiro parcelou mais de R$ 5.555.000,00 em dívidas trabalhistas com o Tribunal Superior do Trabalho (TST). Só no ano de 2014 o município pagou R$ 1.500.000,00 de precatórios, uma média de R$ 125.000,00 mês. Em 2015 nos sete primeiros meses a prefeitura já pagou R$ 1.095.564,85 uma média mensal de R$ 156.509,26. O aumento se dar devido a novos precatórios julgados pelas varas trabalhistas.

Flaviano Monteiro encontrou a prefeitura com débitos não só de precatórios, mas também com INSS e várias obras paralisadas no município com a maioria com medição paga e não executada, como a segunda passagem molhada do Vale do Apodi, onde a CGU detectou um pagamento de R$ 130.000,00 a construtora, mas o serviço não foi executado.

Apesar das dificuldades o prefeito de Apodi tem conseguido equilibrar as finanças do município. A folha de pessoal tem sido paga antes do final do mês, a manutenção da máquina pública está em dia, e ainda tem sobrado recursos para as contrapartidas das obras. A prefeitura já fez asfalto com recursos próprios, inaugurou duas UBSs com investimento de recursos próprios na construção de aproximadamente R$ 300.000,00, um Ginásio de Esportes, recuperou a praça da Bíblia, está com várias obras em fase final como a ponte da comunidade de Queimadas, a UBS e o Ginásio do Distrito de Melancias, Quadra do bairro Bico Torto, Ginásio do Distrito de Soledade, entre outras obras.

"Não tem sido fácil, estamos pagando uma conta que não foi nós que fizemos, mas o débito é de Apodi. Esses recursos daria para realizarmos muitos dos sonhos dos filhos de Apodi, mesmo assim temos avançado com foco, planejamento e zelo na aplicação do dinheiro público", destacou o prefeito Flaviano Monteiro.

Fonte: Ascom/PMA
Anterior Proxima Página inicial