21/04/2015

Associação Raimunda Dantas realiza I FESTCURTA


A Associação Raimunda Dantas através da Companhia Teatral Casarão realizou neste último sábado, 18/04, o I FESTCURTA - Uma homenagem ao Livro Infantil. (Festival de Cenas Curtas de Teatro Amador da Associação Raimunda Dantas) – Edição 2015. “O festival surgiu da necessidade dos alunos da oficina de teatro da Associação Raimunda Dantas – Cia. Teatral Casarão, estarem mostrando seus conhecimentos aprendidos dentro das aulas ministradas. 

E serviu também como forma de avaliação por parte dos monitores das oficinas. “Nesta primeira edição, ele foi planejado e executado em forma de homenagem ao Dia Nacional do Livro Infantil – 18 de Abril – com isso, foram elaboradas três peças teatrais em formato curto, sendo elas: A magia de contar estórias; Os três irmãos e Mundo mágico. 

“A Magia De Contar Estórias” foi dirigida pelo ator e monitor de teatro da Associação-ARD, Luis Marinho e teve como objetivo principal disseminar a literatura infantil e o consumo literário através da arte milenar de contar histórias. “Os Três Irmãos”, foi dirigida e adaptada pelo ator da Associação-ARD e Companhia-CTC, José Neto, que adaptou a histórias dos três porquinhos de Joseph Jacobs, no formato de uma comedia – farsa. Já o espetáculo “Mundo Mágico”, foi concebido pelo ator e monitor Rafael Silva, e perpassou várias metalinguagens teatrais, tais como: clowns, ópera e farsa. 

O festival lotou o auditório da Casa de Cultura Popular – Palácio Soledade em Apodi, com cerca de 200 pessoas, familiares e país dos alunos das oficinas. Todos os 50 alunos devidamente inscritos e com frequência regular nas oficinas e nas suas devidas escolas educacionais, puderam participar da iniciativa que culminou no I FESTCURTA – 2015 (Uma Homenagem ao Livro Infantil). 

Após todas as apresentações a Cia. Teatral Casarão apresentou um trecho de seu espetáculo “Improvisa-Cena” que usa de jogos teatrais para animar, divertir e interagir com a plateia presente. Os jogadores/atores: Dayana Moreira, Luis Marinho, Marcelo Plínio e Rafael Silva fizeram durante trinta minutos de apresentação todos gargalharem até chorar. Parte do cerimonial e recepção ficou a cargo de Dayana Moreira, que tocou, cantou e animou o público durante os intervalos de cada espetáculo. 

Já o cerimonial apresentado ficou por conta de um sarau poético organizado por Luis Marinho e Dayana Moreira com um grupo de alunos. O festival contou com a produção da equipe técnica da Associação-ARD, nas pessoas de Fernando Luiz Calixta que assinou os cenários, Marcelo Plínio assinando a iluminação, Luis Marinho a produção executiva e Marcos Magalhães a coordenação de projeto, com o apoio cultural da empresa apodiense: TJ Empreendimentos na pessoa de Theodoro Junior.
Anterior Proxima Página inicial