05/04/2014

Polícia recupera R$ 131 mil roubados do Banco do Brasil em Natal


A Polícia Civil do Rio Grande do Norte recuperou R$ 131 mil roubados da agência do Banco do Brasil da avenida Engenheiro Roberto Freire, no bairro Ponta Negra, na zona Sul de Natal. O dinheiro estava com um dos supeitos do crime, que foi preso no início da noite desta sexta-feira (4) na Vila de Ponta Negra. A operação foi coordenada pelo delegado Herlânio Cruz, titular da Delegacia Especializada em Furtos e Roubos (Defur).

O dinheiro também estava na casa da Vila de Ponta Negra, onde foram encontrados R$ 131.382 em dinheiro, uma identidade falsa, uma cédula falsificada no valor de R$ 100 e máquinas para confecção de cartões de crédito. De acordo com a Polícia Civil, o suspeito confessou ter participado do assalto ao Banco do Brasil.

Em depoimento, o preso disse que ia usar o dinheiro roubado para abrir um restaurante na praia de Pipa, no litoral Sul do Rio Grande do Norte. “Ele não conseguiu comprovar nenhum tipo de atividade lícita, mas tinha um padrão de classe média alta”, explicou. O suspeito já tinha passagem na polícia por estelionato. “A gente espera continuar as investigações e prender o restante da quadrilha”, concluiu o delegado.

O assalto

Criminosos arrombaram o cofre central da agência durante a madrugada desta quinta-feira (3). A informação foi revelada pela delegada Alzira Veiga, titular da 10ª Delegacia de Polícia Civil, que deu início às investigações.

Ainda de acordo com a polícia, moradores da vizinhança disseram que viram pelo menos quatro homens encapuzados saindo da agência. Testemunhas também confirmam que o alarme do banco disparou por volta das 4h.
Agência alvo da quadrilha fica em
Ponta Negra (Foto: Hugo Andrade/Inter TV Cabugi )

O comandante geral da Polícia Militar, coronel Francisco Araújo Silva, confirmou que a PM só tomou conhecimento do crime nesta manhã, quando os funcionários chegaram para trabalhar. “Os criminosos entraram pelos fundos da agência e danificaram o sistema de câmeras de vigilância. Tanto sabiam o que estavam fazendo que ignoraram os caixas eletrônicos e foram direto ao cofre”, revelou.

"Com frequência realizamos operações e conseguimos coibir muitas ações desta natureza. No entanto, os bancos, como instituição financeira, têm obrigação de cuidar de seus patrimônios, com investimento em medidas preventivas de segurança orgânica, inclusive na defesa de seus clientes”, declarou o coronel Araújo.

O Banco do Brasil não se pronunciou sobre o ocorrido.

G1
Anterior Proxima Página inicial
Postar um comentário