04/01/2014

Gasolina menos poluente começa a entrar no mercado


Os 980 postos de combustíveis do Rio Grande do Norte devem se adequar à resolução da Agência Nacional de Petróleo (ANP) que estabelece que a gasolina e o diesel

comercializados a partir de agora devem ser menos poluentes.

Embora tenham estoques de 2013 para serem comercializados, os estabelecimentos têm um prazo de até 90 dias para se adequarem. No caso de distribuição, o prazo é de até 60 dias contados, desde 1º de janeiro, quando a resolução entrou em vigor.

Em Mossoró, alguns postos já começaram a perceber a mudança. “A compra que realizamos essa semana já foi dessa nova gasolina, que inclusive teve um pequeno aumento”, disse o gerente de posto de combustível, Ricardo Alex.

Para os consumidores, a resolução da Agência Nacional de Petróleo (ANP), deve trazer muitos benefí-cios. “A medida é uma forma de reparar todo o mal que nós já causamos ao meio ambiente e por isso podemos dizer que é um grande avanço”, comentou a professora Josefa Dias. Mas mesmo reconhe-cendo os benefícios, alguns consumidores também estão apreensivos e receosos. “Eu sei que é bom cuidar do meio ambiente, mas eu tenho é medo de que fique ainda mais caro” disse a estudante An-dreza da Silva.
As mudanças

Deverão ser comercializados em todo o território nacional apenas o diesel S-10 (10 partículas por mi-lhão - ppm) e do S-500 (500 ppm), com baixo teor de enxofre, para a frota de caminhões, ônibus e outros veículos do ciclo diesel de uso em estrada. 

A medida se refere ao diesel S-50 (fora do mercado desde o final de 2013) e ao diesel S-1800, que a partir de agora deixarão de ser comercializados.

Já a gasolina terá, no máximo 50 mg/kg de enxofre total, apresentando qualidade semelhante a que é comercializada nos Estados Unidos, Canadá e Europa. Com a iniciativa da ANP, haverá redução da emissão de enxofre na atmosfera em 94% e a emissão de poluentes, em até 59%, no médio e longo prazo, nos veículos mais modernos, contribuindo para a melhora da qualidade do ar e para a diminuição de doenças respiratórias.

Em função do processo de refino adotado, a nova gasolina poderá apresentar coloração mais clara e odor diferenciado. Essas características não influenciam o desempenho do combustível no motor. Também não haverá problemas com relação à gasolina importada, já que atende às novas especifica-ções da nova gasolina nacional.
Via:Cidade News Itaú
Anterior Proxima Página inicial
Postar um comentário