01/04/2015

MORTE DE MÚSICO CARAUBENSE FOI ENCOMENDADA,DIZ INVESTIGADOR


Uma das linhas de investigação da Polícia Civil, no caso Bruno Sales em Caraúbas, trabalha na possibilidade de execução encomendada. A informação foi repassada pelo chefe de investigação, Lopes, que também descartou a relação entre o assassinato do ex-presidiário e a morte do músico. 

“Não tenho dúvidas de que Bruno foi morto por encomenda. Até por que ele era um menino bom e não tinha envolvimento com nada de errado. O único defeito dele é que ele era muito brincalhão, quer dizer, acho que isso é até uma virtude”, comentou. 

Além dessa linha, Lopes explicou que outras duas hipóteses investigativas estão sendo levado em conta, uma vez que poucas informações que pudessem contribuir com o trabalho policial foram colhidas no local. Indagado sobre a possibilidade de envolvimento do ex-presidiário assassinado na segunda-feira (30), Raí Aluízo da Silva, na morte de Bruno Sales, o chefe de investigação disse que não acredita nesta hipótese. “Eu descarto essa hipótese em 90%. 

Devido Bruno ter muitas amizades, inclusive com policiais, esses militares iniciaram várias investigações por conta própria, por isso surge muitas conversas e suposições”, concluiu. Bruno Sales foi executado com, pelo menos, oito disparos de arma de fogo na última quinta-feira (26). 

Na época, a vítima foi surpreendida, sofreu os tiros e ainda tentou correr, mas terminou perdendo as forças e morrendo na calçada. O caso comoveu a cidade por causa da brutalidade do crime, bem como da personalidade do músico, que era bastante querido.

Mossoró Hoje
Anterior Proxima Página inicial