02/09/2014

ABC QUEBRA TABU, VENCE, AUMENTA CRISE DO VASCO E AVANÇA ÀS QUARTAS


O ABC realizou dois grandes feitos na noite desta terça-feira. Para começar, quebrou um tabu histórico: derrotou o Vasco pela primeira vez em sua história. Nas 14 vezes em que haviam se enfrentado, foram 10 derrotas e quatro empates. Assim, avançou às quartas de final da Copa do Brasil, chegando a sua melhor campanha na competição – o máximo que conseguira anteriormente foram as oitavas, em 2000. Tudo isso embalado pela vitória por 2 a 1 na Arena das Dunas, gols de Madson e Marlon. Maxi Rodríguez descontou. O resultado e a eliminação aumentam ainda mais a crise do Cruz-Maltino, que já soma cinco partidas sem vitória, uma goleada por 5 a 0 em São Januário no fim de semana, pela Série B, e a saída do técnico Adilson Batista – Jorge Luís comandou interinamente a equipe nesta noite.

Na próxima fase, o ABC enfrentará o vencedor do confronto entre Cruzeiro e Santa Rita. Os mineiros fizeram 5 a 0 na partida de ida, e as equipes voltam a se enfrentar nesta quarta, às 19h30, no Municipal Arapiraca. Pela Série B do Brasileirão, o ABC retorna à Arena das Dunas, desta vez contra o Santa Cruz, às 16h10 (de Brasília), de sábado. O Vasco, por sua vez, viaja a Minas Gerais, onde enfrenta o América-MG, no Independência, no mesmo dia e horário.

Euforia na comemoração do gol de Marlon, que deu a vaga ao ABC (Foto: Jocaff Souza/GloboEsporte.com)

Anfitriões largam na frente

O Vasco teve sete alterações em relação à última equipe formada por Adilson Batista, no fatídico 5 a 0 para o Avaí, que culminou com a sua saída. Mesmo assim, Jorge Luís não promoveu muitas mudanças na forma da equipe atuar em campo. No setor ofensivo, Kleber, que cumpriu suspensão no sábado, começou mais à frente, enquanto Montoya caia pela esquerda. O que não foi o suficiente para evitar o gol do time da casa logo aos 12 minutos de partida.

Madson marcou numa jogada que foi bem explorada pelo ABC durante todo o duelo: bola longa, apostando na desatenção e desorganização da zaga carioca. O lateral recebeu um lançamento de antes do meio de campo, dominou no peito, com Montoya já rendido, e tocou na saída de Diogo Silva. Com o placar favorável, a equipe potiguar se fechou mais e arriscou os lances de contra-ataque, dando mais espaços para o Vasco jogar, porém, sem sucesso. Aranda foi o principal criador.

Mal com a bola nos pés, Douglas foi expulso no início da etapa final (Foto: Marcelo Sadio / Vasco.com.br)

Emoção do início ao fim

No segundo tempo, mal deu tempo para o Vasco começar a organizar seu jogo. Logo aos quatro minutos, o ABC ampliou. Em cobrança de falta pela esquerda, Marlon ganhou de Douglas Silva e tocou para o gol. Cheia de nervos, a equipe ainda sofreu com a expulsão de Douglas cinco minutos depois, por um desentendimento com Rogerinho – o meia acabou também expulso logo em seguida, após receber o segundo cartão amarelo. Foi aí que Jorge Luís fez a sua melhor mudança. Colocou o uruguaio Maxi Rodríguez, que incendiou o confronto. Já na primeira bola recebida, abriu espaço na entrada da área, chutou e contou com desvio providencial em Diego Jussani para vencer o goleiro Gilvan e diminuir a vantagem do ABC.

Com recorde de público – 28.200 espectadores, contando partidas do time potiguar –, a Arena das Dunas viu ainda um fim de jogo emocionante. O Vasco buscou o resultado até o último minuto. Mas o ABC também pressionava. Diogo Silva salvou em duas oportunidades. Na terceira, se atrapalhou, acabou pegando a bola fora da área e recebeu o cartão amarelo. No último grande lance da partida, Douglas Silva teve a chance de garantir a classificação do Vasco. O zagueiro driblou o goleiro e, ao chutar para o gol, viu o adversário salvar em cima da linha. Foi o lance que sacramentou: 2 a 1 e classificação do ABC.
Anterior Proxima Página inicial