11/04/2014

Justiça nega habeas corpus a acusados de disparar rojão que matou cinegrafista


A 8ª Câmara Criminal do Tribunal de Justiça do Estado do Rio de Janeiro negou ontem (10), por maioria de votos, o pedido de habeas corpus para Caio Silva e Souza e Fábio Raposo Barbosa, acusados de disparar o rojão que matou o cinegrafista da TV Bandeirantes, Santiago Andrade, durante manifestação no dia 6 de fevereiro deste ano, na Central do Brasil. Os desembargadores consideraram que as prisões estão devidamente motivadas.

Caio e Fábio respondem pelos crimes de homicídio triplamente qualificado e de explosão. A primeira audiência do caso está marcada para o dia 25 deste mês, na 3ª Vara Criminal da Capital. O advogado de defesa, Wallace Martins, disse que vai recorrer da decisão ao Superior Tribunal de Justiça, em Brasília. Os dois acusados permanecem presos no Complexo Penitenciário de Gericinó, em Bangu, zona oeste do Rio.
Anterior Proxima Página inicial
Postar um comentário