16/03/2013

Uma mulher cega que vive na rodoviária em Caicó há 40 anos tem história marcada por sofrimento


A história de uma senhora de 57 anos que a cerca de 40 anos vive na rodoviária em Caicó é marcada por sofrimento desde o momento em que nasceu, pois não teve a sorte de ver a luz do mundo, ela nasceu cega. 
Domerina Cosme, 57 anos, natural da cidade de Jardim de Piranhas é uma figura conhecida e querida por todos no terminal rodoviário em Caicó. É de lá que ela ganha seu sustento ganhando uns trocados e de certa forma orientando as pessoas por lá de alguma forma, apesar de ser deficiente visual conhece todos e tudo no local. 
Por conhecimento com motoristas e empresas de ônibus ela já teve de percorrer várias regiões do nordeste, dizendo apenas que queria passear um pouco. Contou um pouco da sua vida, chegando a revelar uma barbaridade quando vivia na cidade de Campina Grande no estado da Paraíba. 
Contou que lá chegou a ser atacada por dois homens, que mesmo cega não foi respeitada pelos bandidos, ela foi violentada sexualmente e deste estupro nasceu um filho, que por ironia do destino, nasceu com deficiência. Ela acalenta um sonho que é uma cirurgia de colocação de prótese de vidro nos olhos que não custa caro, pouco mais de 3 mil reais. 
Domerina mora sozinha em uma casa alugada no bairro Walfredo Gurgel em Caicó, sua diversão e companhia são umas bonecas que ela guarda com muito carinho, uma delas doada por Vivaldo Costa. Disse ainda que gostaria de ganhar um presente, se pudesse pedir, perguntamos qual? Ela respondeu que um rádio com CD para ouvir suas músicas. 
Apesar de todo o sofrimento que passou, ela demonstra ser uma mulher forte, cega e vivendo sozinha, ela faz de cada dia uma porta para novas oportunidades de vida. 

Fonte:Cardoso Silva/F. Silva


Anterior Proxima Página inicial
Postar um comentário