Nota de esclarecimento sobre o trabalho com os animais feito por Eribaldo Nobre (Jesus) que faz em Apodi, RN

Resultado de imagem para esclarecimento:

NOTA FEITA PELA PRESIDENTE DA ASSOCIAÇÃO DE PROTEÇÃO DOS ANIMAIS DE MOSSORÓ, A PRINCIPAL PARCEIRA QUE MANTÉM FINANCEIRAMENTE APAA

1- Eribaldo Gomes Nobre, o criticado, é voluntário do LAR DA CRIANÇA POBRE DE MOSSORÓ. Antigamente, bem uns 10 anos atras, era funcionário do LAR em Mossoró, porque era diretor das 2 Escolas do LAR DA CRIANÇA POBRE DE MOSSORÓ em Apodi. Ainda é diretor de 1 escola a outra foi fechada porque o LAR EM MOSSORÓ não podia mais pagar os professores. Eribaldo não recebe verba nenhuma por seu trabalho em Apodi, nem da escola nem da APA (Associação de Protetores de Animais), o LAR de Mossoró só paga para ele as contribuições para o INSS sobre 3 salários. 

2- A APA surgiu, quando eu, r. Ellen, não tive mais espaço para tantos animais abandonados que me foram entregues em Mossoró. Lembrei que Eribaldo tinha espaço (terra para plantaçio), e pedi que ele deixasse os animais lá com ele; compramos mais um pedaço de terra, e eu me responsabilizei pela manutenção dos animais abandonados. Desde aquele tempo, quase toda semana enviamos animais abandonados para a APA, e junto alimentos para eles. 

3- Visitei muitas vezes o abrigo em Apodi, em anos recentes pelo menos 1 vez por ando, de surpresa para Eribaldo, e sempre admirei a boa administração dele. Nunca encontrei o abrigo dos animais sem a limpeza necessária, sem água e comida para os animais, ou sem proteção contra sol e chuva. Sempre há pessoas perto dos animais para cuidar. E todo ano todos cachorros são vacinados contra raiva. 

4- Claro que o povo nos entrega também animais doentes não quer mais porque dão trabalho. Doenças de pele, cinomose, consequência de acidente, desnutrição etc. Alguns animais melhoram no abrigo, outros continuam doentes e finalmente morrem assim também como as pessoas doentes que vão para o hospital. Custear tratamento caro para nós é impossível, mas tratamos os animais doentes com remédios doados. Muitos deles já eram maltratados por seus donos anteriores ou abandonados na rua. Cura. podemos poucos, somente evitar que sejam atropelados na rua ou que morram de fome, sede ou crueldades propositais. 

5- Animais silvestres: nós mesmas em Mossoró recebemos um papagaio e macacos de pessoas de Mossoró que tiveram medo de ficar com eles. Pedimos Eribaldo de acolhê-los, lá onde há um ambiente mais silvestre. Desses vivem ainda o papagaio e 1 macaca. 

6- Jumentos: Uma autoridade da DETRAN diz a Eribaldo que, desde este acolhe os jumentos nas estradas, o número de vitimas humanos fatais por atropelamento diminuiu de 10 para 4 

7- Morte relativamente frequente: É para saber que cachorros, gatos e jumentos tem um tempo de vida bem mais curto do que nós humanos. Se colocarmos 5 anos por média que um animal vive no abrigo (quase todos já chegam adultos ou mesmo velhos, então é normal que com 500 animais no abrigo, todo ano morram 100, todo mês uns 8. Quem se admira que perto do abrigo acharam carcaças- não tem experiência com animais 

8- Não há motivo de acusar Eribaldo, que contribui essencialmente para amenizar os sofrimentos de muitos animais e pessoas. 

AGRADEÇO MUITO A ERIBALDO POR SEU SERVIÇO FEITO POR AMOR.  

Postar um comentário

Postar um comentário