17/09/2014

'Motorista não teve culpa', diz família após enterro de universitária em Apodi


Milhares de pessoas foram ao Cemitério São João Batista, em Apodi, para o último adeus à estudante Brenna Sonária (Foto: Josemário Alves/SOS Notícias do RN)

A manhã desta quarta-feira (17) foi de comoção em Apodi, município da região Oeste potiguar. Milhares de pessoas percorreram as principais ruas em homenagem à universitária Brenna Sonária Noronha de Alencar, de 18 anos, que morreu nesta terça-feira (17) ao ser atropelada por um ônibus escolar em frente ao campus da Universidade Estadual do Rio Grande do Norte (UERN). O corpo da jovem foi enterrado no Cemitério Público São João Batista.

Brenna, a caçula da família, cursava o segundo período de Pedagogia na instituição. Ela havia acabado de saltar do ônibus, que faz o transporte dos alunos de Apodi para Mossoró, e estava atrás do veículo quando o motorista deu marcha a ré e a atingiu. “Ele não teve culpa nenhuma. Não dava pra ele ver. Foi uma fatalidade”, disse Evandro Pinto, cunhado da estudante.

Ainda segundo o cunhado, a mãe da estudante passou mal e precisou ser hospitalizada. O pai, também bastante abalado, ficou em casa aos cuidados de uma das irmãs. “Apenas a irmã mais velha, que tem 24 anos, foi ao cemitério. O motorista também está muito chocado e não foi, mas o pai dele esteve lá para se despedir. Eles são conhecidos nossos, gente de bem”, acrescentou Evandro.

Brenna Sonária era aluna de Pedagogia da UERN
(Foto: Arquivo pessoal/Facebook)

Evandro contou que o reitor Pedro Fernandes, da UERN, foi à casa dos pais da estudante e disse que iria sugerir, como homenagem, o nome dela para o campus que deverá ser construído em Apodi. Em nota emitida ainda na terça, a instituição lamentou a morte da jovem e afirmou que está prestando assistência psicológica à família.
Anterior Proxima Página inicial