08/01/2014

Delegacia de Portalegre elucida mais um crime de Homicídio


Delegado Dr. Ricardo Adriano

Portalegre - Investigadores da Delegacia de Portalegre, Região do Alto Oeste Potiguar, sob o comando do delegado Bel. Ricardo Adriano Brito de Medeiros elucidou mais um crime de homicídio ocorrido naquela cidade.

De acordo com o Delegado no dia 06 de Janeiro de 2014, ou seja, ontem, a pessoa de Gilberlândio Bevenuto de Oliveira, de 24 anos, se apresentou a policia acompanhado de um advogado e confessou assassinato do seu primo Antônio Jailton Bevenuto da Silva, morto a facadas no 30 de dezembro de 2013, alegando legitima defesa. 

O delegado Ricardo Adriano afirmou para reportagem que, a elucidação se deu em apenas uma semana devido ao bom trabalho de sua equipe que durante os trabalhos realizados no local do crime colheram as primeiras investigações, identificando os primeiros indícios de autoria, levando com que identificasse o suposto autor e que este se apresentasse a policia, já que num primeiro momento, sequer teria um suspeito.

O Delegado ainda contou que “Desde primeiro momento que estivemos no local, obtemos uma informação que apontavam o referido acusado como o principal suspeito do crime e, ao proceder às investigações colhendo provas e ouvindo um numero expressivo de pessoas começamos a formar o quebra cabeça, confrontando-as depoimentos entres os declarantes e até mesmo com o principal suspeito, ao final, de modo pôde ter uma nítida ideia de como teria ocorrido o crime. E não havendo alternativa, não restou ao principal suspeito se apresentar a policia e contar sua versão.

As investigações apontaram que entre o acusado e a vítima existia uma rixa, tendo eles já entrado em luta corporal durante discussões anteriores. O suspeito também já tinha esfaqueado o padrasto da vítima. O não comparecimento de Gilberlandio ao enterro do primo e o comportamento muito assustado dele após o crime também levantou a desconfiança da Polícia Civil.

Na Delegacia, o suspeito confirmou em depoimento ter ido ao local do crime com a vítima, a convite desta para comer doce. Chegando lá, a vítima teria cuspido em sua cara e dito que a mataria, sem nenhum motivo aparente. E, para se defender, o acusado disse que tirou a faca que o primo trazia consigo e o matou em legítima defesa. E após o crime, jogou a faca fora. A versão, no entanto, foi contestada segundo o delegado.

“O inquérito já foi concluído e será encaminhado à Justiça. O suspeito poderá responder ao processo em liberdade por não ter sido pego em flagrante, e ainda se apresentado para assumir a autoria. O que não impedirá que ele, sendo condenado, possa vir a ser preso por ser considerado culpado efetivamente”, concluiu o delegado Ricardo Adriano Brito.
FONTE: SARGENTO ANDRADE
Anterior Proxima Página inicial
Postar um comentário